30/10/2008

Educação e Ciencia na Índia


Educação na Índia

Prabodhini Gurukula

A educação organizada na Índia vem de longa data. O sistema Gurukul de educação, um dos mais antigos do planeta, contemplava os mais elevados ideais do completo desenvolvimento humano: físico, mental e espiritual. Gurukuls eram as tradicionais escolas Hindus de aprendizagem, tipicamente a casa do mestre ou um monastério. O ensino era gratuito, mas os estudantes de famílias abastadas pagavam uma contribuição voluntária (Gurudakshina) após a conclusão de seus estudos .
Nos Gurukuls, eram transmitidos conhecimentos de religião, escrituras sagradas, filosofia, literatura, defesa (pessoal), política, astrologia, medicina e de história ("Itihaas").


No primeiro milênio e, em alguns séculos precedentes houve florescimento de uma educação mais ampla em Takshashila, na Universidade de Nalanda, e nas Universidades de Ujjain e de Vikramshila.
Arte, Arquitetura, Pintura, Lógica, Gramática, Filosofia, Astronomia, Literatura, Budismo, Hinduismo, Arthashastra (Economia e Política), Direito, e Medicina eram os assuntos ensinados e cada universidade se especializou em um campo particular do estudo.
Takshashila especializou-se no estudo da medicina, enquanto Ujjain deu mais ênfase à astronomia. Nalanda, sendo a maior, abarcou todos os ramos do conhecimento, e abrigou cerca de 10.000 estudantes em sua melhor fase.


Os registros britânicos mostram que a educação era bastante difundida no século XVIII, com uma escola em cada templo, mesquita ou aldeia em quase todas as regiões do país. Entre os assuntos ensinados se encontravam a leitura, a escrita, a aritmética, a teologia, o direito, a astronomia, a metafísica, a ética, a ciência médica e a religião. As escolas recebiam estudantes de todas as classes da sociedade.
O sistema atual de educação, com seu caracter e com índices ocidentais, foi introduzido e estabelecido pelos Ingleses, após as recomendações do Baron Macaulay. As estruturas tradicionais da educação hindu não foram reconhecidas pelo governo britânico e entraram em declínio desde então. Gandhi afirmou que o tradicional sistema educacional Hindu era uma fecunda árvore que foi exterminada pela colonização britânica. Wikipedia: Education in India / Ancient Universities of India....
Prabhodini Gurukula....Sri Veda Vijnana Gurukulam.....

Ciência e matemática na Índia
“... Na filosofia indiana (darshana), a teoria atômica apresenta-se com idéias categorizadoras sobre átomo e, também, sobre a estrutura atômica do mundo material... O conceito de átomo na Índia antiga resulta da classificação do mundo material em cinco elementos básicos: terra (prithvi), fogo (agni), ar (vayu), água (jaal) e éter ou espaço (aksha)... Os filósofos indianos antigos acreditaram que todos os elementos exceto o éter eram fisicamente tangíveis, portanto, formados de minúsculas partículas. A menor partícula, que não poderia ser subdividida, foi chamada paramanu em Sânscrito (abreviada por parmanu), vem de parama (final ou além) e de anu (átomo). Assim, "paramanu" significa literalmente "além do átomo", conceito abstrato que sugere a possibilidade de subdividir átomos, atualmente, uma das modalidades da energia atômica...." The Theory of Matter in Indian Physics: Roopa Hulikal Narayan
Indian Physics: Outline of Early History by Subhash Kak


Aryabhata em 499 DC desenvolveu uma visão heliocêntrica do sistema solar com base na gravitação e em teorias astronômicas e matemáticas que consideram a rotação da terra e o movimento periódico dos planetas em órbitas elípticas com relação ao sol. Realizou cálculos exatos das constantes astronômicas baseadas neste sistema, tal como os períodos dos planetas, a circunferência da terra, eclipse solar e lunar, a duração da rotação da terra em torno de seu eixo, o comprimento da órbita da terra em torno do sol, e as longitudes dos planetas usando excêntricas e epiciclos. Introduziu também algumas funções trigonométricas (seno, verseno, cosseno e a cossecante), construiu tabelas trigonométricas, e contribui para o desenvolvimento de técnicas álgebricas.


No século VII DC, Brahmagupta descreveu brevemente a lei da gravitação, e reconheceu a gravidade como uma força da atração. Também explicou corretamente o uso de zero como símbolo posicional e como dígito decimal completando a base decimal dos algarismos indo arábicos usados universalmente.




O Siddhanta Shiromani é um texto matemático de astronomia escrito por Bhaskara no século XII. Os doze capítulos da primeira parte abordam tópicos como: longitudes médias dos planetas; longitudes reais dos planetas; os três problemas da rotação diária da terra; sizígias; eclipses lunares; eclipses solares; latitudes dos planetas; nascimentos e ocasos; fases da lua; conjunções dos planetas. A segunda parte contém treze capítulos sobre a esfera celeste, cobre tópicos como: cosmografia e geografia; movimento planetário; modelo excêntrico com epiciclos dos planetas; a esfera armilar; trigonometria esférica; elipse; instrumentos astronômicos; as estações do ano; e problemas de cálculos astronômicos.


A partir do século XII, Bhaskara e os vários matemáticos keraleses conceberam os fundamentos do cálculo diferencial, da analise matemática, das séries trigonométricas, a notação de ponto flutuante, e os conceitos fundamentais para desenvolvimento do cálculo..."Ciência e tecnologia na Índia antiga": Wikipedia,,,,Development of Philosophical Thought and Scientific Method in Ancient India.....Vedic Science.....Indian Astronomy: Wikipedia

Nenhum comentário: