04/10/2008

Sânscrito

Sânscrito

Sânscrito (IAST: Saṃskṛtam) é a língua litúrgica e filosófica do hinduísmo; a linguagem filosófica do sikhismo, do budismo e do jainismo; língua literária e, antiga e medieval linguagem veicular da Ásia do Sul. O sânscrito é uma padronização de um dialeto do antigo indo-ariano desenvolvido no segundo milênio AC como sânscrito védico, sua ascendência linguística remonta ao proto-indo-iraniano e proto-indo-europeu. O sânscrito, a mais antiga língua indo-européia, ocupa uma posição relevante nos estudos indo-europeus. O 'corpus' da literatura sânscrita abrange uma rica tradição de poesia e drama, bem como textos científicos, filosóficos, religiosos e os upavedas e vedangasAs composições em sânscrito foram transmitidas oralmente desde o início da sua história através de métodos de memorização com complexidade, rigor e fidelidade excepcionais. A escrita foi introduzida mais tarde, 1º milênio AC, com o Brahmi script, e com suas variantes e derivados; A partir do séc. VII DC foi introduzido o script Devanagari, mas outros scripts continuam em uso.

Sânscrito Védico
        O sânscrito, conforme definido por Pāṇini (século IV AC), descende do antigo védico e pode ser rastreado desde o segundo milênio AC (chegando ao Rig-veda). Os estudiosos consideram o sânscrito védico e o sânscrito clássico como variedades linguísticas distintas. Embora sejam bastante semelhantes, eles diferem em vários pontos essenciais como fonologia, vocabulário, gramática e sintaxe.
        Os hinos métricos do Rigveda (Samhitas), os mais antigos, foram compostos por muitos autores ao longo de vários séculos num processo de transmissão oral. No final do período védico surgiram os Upanishads, que finalizam o 'corpus védico'; contudo, os primeiros Sutras também são considerados védicos, tanto em linguagem como em conteúdo.
Sânscrito clássico 
        Por quase 2.000 anos, o sânscrito era a língua de uma cultura que exercia notável influência no sul da Ásia, na Ásia interna, no Sudeste Asiático e, até certo ponto, no Leste Asiático. Uma forma relevante do sânscrito pós-Védico é encontrada no sânscrito da poesia épica indiana: Ramayana e Mahabharata
        As discordâncias de Pāṇini encontradas nos épicos são geralmente consideradas interferências dos Prakrits (idiomas locais, vernáculos), e não porque são pré-paninianos. Os sábios sânscritos tradicionais chamam tais desvios ārṣa, significando 'provenientes dos ṛiṣhis'. O sânscrito híbrido budista é uma linguagem literária fortemente influenciada pelas línguas indo-arianas médias, baseado em textos primitivos budistas, prakrit, que posteriormente foram assimilados ao padrão clássico do sânscrito em diferentes graus. 
Origem e desenvolvimento

        O sânscrito é membro da subfamília indo-iraniana das línguas da família linguística indo-européia; seus parentes mais próximos são as línguas iranianas, o Avestan e o Antigo Persa. Para explicar os recursos comuns compartilhados pelo sânscrito e outras línguas indo-europeias, a teoria da migração indo-ariana (Não invasão indo-ariana) afirma que os falantes originais da linguagem que se tornou o sânscrito chegaram ao noroeste do subcontinente indiano em algum momento no início do segundo milênio AC, ocupando territórios abandonados pela Civilização do Vale do Indus
        A migração de um povo indo-europeu foi a primeira hipótese proposta (final do século XVIII), após a descoberta das línguas indo-europeias, quando as semelhanças entre as línguas ocidentais e a indiana foram reconhecidas. Dadas essas semelhanças, a existência de uma única fonte ou origem foi proposta. (debate sobre a teoria da migração indo-ariana)
        Este argumento linguístico é apoiado por pesquisas arqueológicas, antropológicas, genéticas, linguísticas e ecológicas. A pesquisa genética revela que essas migrações fazem parte de um enigma genético complexo sobre a origem e disseminação dos vários componentes da população indiana. A pesquisa linguística revela semelhanças entre várias culturas históricas, geograficamente distintas, e a indo-ariana. Estudos ecológicos revelam que no segundo milênio AC uma generalizada aridização levou à escassez de água e mudanças ecológicas nas estepes da Eurásia e, também. ao sul da Ásia, causando o colapso das culturas urbanas sedentárias no sul da Ásia Central, Afeganistão, Irã e Índia, e desencadeou migrações em larga escala, resultando na fusão de povos migratórios com as culturas  autóctones e as pós-urbanas.
        Desde o Rigveda até a época de Pāṇini, o desenvolvimento da antiga língua védica pode ser observada em outros textos védicos: Samaveda, Yajurveda, Atharvaveda, Brahmanas e Upanishads. Durante este tempo, o prestígio da linguagem, seu uso para fins sagrados e a importância atribuída à sua enunciação correta (ortoépia) serviram como poderosas forças conservadoras que resistiram aos processos normais de mutação linguística. No entanto, observa-se uma clara estratificação linguística, em cinco níveis, desde o antigo Védico aos Upanishads e aos primeiros sutras, como os sutras de Baudhayana.

Sistematização de Panini

        A mais antiga gramática sobrevivente do sânscrito é a Aṣṭādhyāyī ('gramática em oito Capítulos) de Pāṇini, escrita por volta do séc. IV AC. É essencialmente uma gramática prescritiva, ou seja, a autoridade que define o sânscrito, embora contenha partes descritivas, principalmente para explicar algumas formas védicas que se tornaram raras no tempo de Pāṇini. O sânscrito clássico tornou-se consolidado com a gramática de Pāṇini, e permanece em uso como idioma erudito até hoje.

Sistema de escrita

Sanskrit  Alfabeth
        O sânscrito não tem nenhum script nativo próprio, embora, evidências históricas sugerem que ele foi escrito em vários scripts em grande variedade de mídias, como folhas de palmeira, pano, papel, rocha e folhas de metal, etc.
        O sânscrito normalmente é escrito no script Devanagari, mas outros scripts continuam a ser usados. Continua a ser amplamente utilizado como uma linguagem cerimonial em rituais religiosos hindus e prática budista na forma de hinos e cantos.    
        Desde o final do séc. XVIII, o sânscrito foi transliterado usando o alfabeto latino. O sistema mais utilizado atualmente é o IAST (Alfabeto Internacional de Transliteração Sânscrita), que tem sido o padrão acadêmico desde 1888 DC.
        O sânscrito clássico distingue cerca de 36 fonemas; a presença de alofonia leva à distinção de 48 fonemas (sons). Os fonemas são tradicionalmente organizados na ordem (Varnamala): vogais, ditongos, anusvara e visarga, oclusivas, nasais e, consoantes líquidas e fricativas.
        A imagem ao lado (clique para ampliar) apresenta os fonemas em Devanagari com transliteração (IAST).  (Vídeo: Learning Sanskrit Vowels / Sanskrit Consonants Sanskrit Alphabet Pronunciation and Transliteration)

Gramática 

        A tradição gramatical sânscrita, Vyākaraṇa, um dos seis Vedangas, começou no final do período védico e culminou no Aṣṭādhyāyī de Pāṇini, que consiste em 3990 sutras. Um século após Pāṇini (séc. III AC), Kātyāyana compôs "Vārtikas" tratado baseado nos sutras de Pāṇini. Patanjali, que viveu três séculos após Pāṇini, escreveu o Mahābhāṣya, o "Grande Comentário" sobre o Aṣṭādhyāyī e Vārtikas. Por causa desses três antigos Vyākaraṇins (gramáticos), esta gramática é chamada Trimuni Vyākarana. Para entender o significado dos sutras, Jayaditya e Vāmana escreveram um comentário, o Kāsikā, em 600 DC. 
        Os verbos sânscritos são categorizados em dez classes, que podem ser conjugadas para formar o presente, o imperfeito, o imperativo, optativo, perfeito, aorista, futuro e modos e tempos condicionais. Antes do sânscrito clássico, formas mais antigas também incluíam o modo subjuntivo.
        Os substantivos são altamente flexíveis, incluindo três gêneros gramaticais, três números e oito casos: nominativo, vocativo, acusativo, instrumental, dativo, ablativo, genitivo e locativo.
The Hanuman Chalisa - Tutorial / Krishna Das
Shivastakam / Shri Rameshbhai Oza (Sanskrit and English)
Shiva Mahimna Strota
Learnig Sanscrit Vowels

Links
Sanskrit &Sanscrito .....Sanskrit: The Language of Ancient India
Learning Devanagari Script
Discover Sanskrit A concise study of the Sanskrit language (mantras)
Sanskrit Alphabet in Devanagari, Gujarati, etc.
The Online Sanskrit Pronunciation Guide
Manner of articulation
Transliterator from romanized to Unicode Sanskrit
Sanskrit transliterator with font conversion to Latin and other Indian Languages
Transliteration: how to use ISO 15919 Guia para código internacional de transliteração
ABECEDARIA
Sanskrit Grammar
Sanscrit Etymological Sources – Cognates
Sanskrit Web

Swargarohan's Glossary
Brief glossary of sanskrit
Apte Sanskrit Dictionary Search
Chindu Dictionary - II
Hinduism's Online Lexicon
Monier-Williams Dictionary, printable
The Sanskrit Heritage Dictionary
Glossary of Sanskrit Terms
Tradutor Sanscrito / Português
Curso de Introdução à Gramática do Sânscrito
Sanskrit Self Study Sanskrit Language in 64 self study lessons by Chitrapur Math
Sanskrit Audio Lessons from NCERT
Ancient Sanskrit Online from the University of Texas at Austin
Learning Sanskrit - Aurobindo Ashram ..... Samskrita Bharati

Nenhum comentário: