01/02/2018

Bharata Kalachakra (Cronologia Indiana)

LINHA DO TEMPO HINDU (SÍNTESE)

-100.000 ↗ -30.000: O sítio arqueológico de Bhimbetka (Distrito de Raisen de Madhya Pradesh) foi descoberto em 1957 por V. S. Wakankar. As pinturas rupestres encontradas nos abrigos que remontam a 30.000 anos descrevem a vida dos residentes das cavernas com desenhos de gravidez, nascimento, ritos religiosos, enterro, meio ambiente, animais, divindades e danças.
-10.000: O Taittiriya Brahmana 3.1.2 registra a elevação no leste do Nakshatra Purvabhadrapada (as duas principais estrelas de pégaso). Observação que só poderia ser feita nessa data, e pode ser explicada pela precessão do eixo de rotação da terra (Dr. B.G.Siddharth do instituto de ciência de Birla).
-8.500: O Taittiriya Samhita 6.5.3 mostra a constelação das Plêiades no solstício de inverno comprovando a antiguidade dos Vedas.
-7.500: Escavações em Nevali Çori na Turquia revelam alguns dos mais antigos templos conhecidos, ornados com enormes esculturas. Dr. B. G. Siddharth acredita em influência da cultura Védica.
-7.000: Era de Manu Vaisvasvata "Pai da Humanidade", da região do Sarasvati-Drishadvati (presume-se que era um Maharaja do sul da Índia que navegou para os Himalayas durante a grande inundação).
-7.000: Primeiras evidências de cavalos na região do Ganges (David Frawley).
-7.000: Os residentes de Mehrgarh na região do Indus-Sarasvati cultivavam cevada, criavam ovelhas e cabras. Também, armazenavam grãos, enterravam seus mortos e construíram edifícios de tijolos de barro cozido ao sol.
-6.776: Início da cronologia dos reis Hindus, de acordo com antigas referências gregas, 150 reis Hindus foram listados num período de 6.400 anos antes de 300 AC.
-6.500: Os versos do Rig Veda (e.g. 1.117.22, 1.116.12, e 1.84.13.5) relatam o solstício de inverno surgindo em Áries (segundo Dr. D. Frawley). Registro somente possível em 6.500 AC, indicando a antiguidade dessa passagem dos Vedas.
-6.000: Era dos primeiros assentamentos no rio Sarasvati que flui do oeste de Delhi até Rann de Kutch. Nessa época, o Rig Veda descreveu o Rajastão como uma região fértil, com muitos pastos, incluindo as culturas com base em cevada (Yava), cobre (Ayas), e a criação de bovinos.
-5.500: Os habitantes de Mehrgarh produziram utensílios com cerâmica cozida e milhares de pequenas figuras em argila de mulheres (consideradas os primeiros sinais do culto a Shakti). Também estabeleceram relações comerciais, inclusive com regiões longínquas, envolvendo intercâmbio de pedras preciosas.
-5.000: A cultura Kurgan (Hipótese sobre a origem do povo indo-europeu falante da linguagem proto-indo-europeia) se espalha a partir das planícies ocidentais dos Montes Urais da Russia. (veja Proto-Indo-European Urheimat hypothesesIndo-Aryan migration theories, e Nostratic Languages)
-5.000: Primórdios das civilizações de Harappa e Mohenjo-daro no vale do Indu. Data derivada das escavações que chegaram a 45 pés nos sítios arqueológicos. Altares de tijolos cozido foram encontrados em muitas casas sugerindo os rituais védicos de fogo, yajna. Primeiros sinais do culto ao Senhor Siva. Esta cultura perdurou por 3.000 anos e terminou por volta de -1700 AC.
-4.000 ↗ -2.000: Era de Bhrigu. Maharishi Bhrigu um dos Saptarishis (sete grandes sábios) e, também, um dos muitos Prajapatis, é creditado como pai da astrologia Hindu, e considerado o autor do primeiro tratado de astrologia (Jyotish) o "Bhrigu Samhita" composto no período védico.  
-4.000: Escavações nos sítios arqueológicos da suméria em Kish e Susa revelam a existência de produtos do comércio indiano.
-4.000: Data da criação do mundo (Gênesis) segundo a Bíblia. (No calendário hebraico, -3761)
-3.928: Em 25 de julho ocorreu o mais antigo eclipse mencionado no Rig Veda (de acordo com o pesquisador indiano Dr. P. C. Sengupta).
-3.300: Início da fase Kot Diji da civilização do Vale do Indo onde foram encontradas primitivas formas de signos de linguagem, chamados de scripts do Indo.
-3.200: Astrônomos hindus (nakshatra darshas) registraram nos textos védicos suas observações da lua cheia e lua nova nos solstícios de inverno e verão e nos equinócios de primavera e outono com referência a 27 estrelas fixas (nakshatras) espaçadas quase igualmente ao longo da eclíptica lunar ou trajetória aparente da Lua através do céu. A precessão dos equinócios (causada pela oscilação do eixo de rotação da Terra) determina um desvio, com taxa constante, das nakshatras ao longo de um curso previsível num ciclo de 25.000 anos. A partir dessas observações os historiadores são capazes de calcular e determinar a data passada em que a posição indicada da lua, do sol e da nakshatra ocorreu.
-3.102: Início da Kali Yuga no calendário Hindu. Kali Yuga está associada ao apocaliptico demonio Kali, que não deve ser confundido com a Deusa Kālī (leia-se Kaalee). 'Kali' de Kali Yuga significa contenda, discórdia, desavença, ou disputa.
-3.100: Alguns Brahmanas fazem referência ao equinócio vernal em Rohini (meio de Touro), segundo observação de B.G. Tilak, pesquisasdor indiano. Data tradicional da guerra descrita no Mahabharata e da era do Senhor Krishna.
-3.100: A India anexa o Afghanistão e partes da Asia Central.
-3.100: O povo ariano habita o Irã, Iraque e a fronteira ocidental do vale do Indo-Sarasvati. Frawley descreve a Ariana como "uma cultura de conhecimento espiritual." Ele e outros acreditam que:  1) a Terra dos Sete Rios (Sapta Sindhu) mencionada no Rig Veda refere-se unicamente à Índia,  2) que os povos dos vales do Indo-Sarasvati e do Rig Veda são os mesmos, e 3 ) não houve invasão ariana. Esta visão é agora predominante, contrastando ao conceito histórico ocidental que considera os arianos como um grupo separado étnica ou linguisticamente. Outros ainda afirmam que o povo do Indo-Sarasvati eram Dravidianos que emigraram ou foram desalojados na invasão dos arianos.
-3.000: Tecelagem na Europa e no Oriente Médio. No vale do Indo-Sarasvati, principalmente, cestaria de fibras enroladas em espiral ou costuradas.
-3.000: A bem conhecida Kumbha Mela começa com a entrada de Júpiter em Aquário (Kumbha), curiosamente por volta de 3000 AC, e início do calendário indiano tradicional, este evento teve lugar quando o Solstício de Inverno também estava em Aquário, uma circunstância que pode ter contribuído para a introdução do calendário nessa época. (B. G. Siddart).
-2.700: Selos encontrados no vale do Indo-Sarasvati indicam o culto a Shiva que é caracterizado como Pashupati, Senhor dos animais.
-2.600: A civilização do Indo-Sarasvati atinge o apogeu que perdura até 1700 AC. ocupando áreas que vão do Paquistão para Gujarat, Punjab e Uttar Pradesh. É a maior das três civilizações mais antigas do planeta com ramificações na Mesopotâmia (possivelmente Creta), Afeganistão, Ásia Central e Karnataka, A população de Harappa e Mohenjo-daro chega a 100.000 habitantes.
-2.600: As principais partes dos hinos Védicos foram compostas durante o reinado de Vishvamitra I (Segundo o Dr. S.B. Roy).
-2.600: O famoso Rio Védico Drishadvati tornou-se árido, provavelmente na mesma época o Yamuna teve seu curso deslocado para o Ganges.
-2.500: Principal período das cidades do Indo-Sarasvati dependentes em grande medida das culturas do arroz e do algodão desenvolvidas na Índia como mencionado no Atharva Veda. Noventa por cento dos sítios arqueológicos estão dispostos ao longo do Sarasvati região produtora de grãos. Mohenjo-daro foi um grande centro de comércio para as regiões vizinhas. Rakhigari e Ganeriwala (não escavadas até 1994) ao longo do Sarasvati são tão grandes como Mohenjo-daro. Assim é Dholarvira em Kutch. Os sítios arqueológicos do Indo-Sarasvati encontram-se do sul do rio Godavari em Karnataka até o norte no rio Amu Darya no Afeganistão.
-2.500: Referência ao equinócio vernal em Krittika (Pleiades ou  início de Touro) nos hinos do Yajur e Atharva Veda, também nos Brahmanas. Isso corresponde aos selos Harappeanos que mostram sete mulheres (as Krittikas) controlando um incêndio.
-2.300: Sargon funda na Mesopotâmia o reino da Acádia, e estabelece relações comerciais com as cidades do vale do Indo-Sarasvati.
-2.300: Os Indo-Europeus radicados nas estepes dos Urais, Rússia, desenvolveram a tecnologia de carruagens com eficientes rodas raiadas, usando a experiência de mais de 1.000 anos na criação de cavalos e na tecnologia de carroças de transporte de carga.
-2.051: Divodasa reina até -1961, estabelece relações com o rei de Babilônia Indatu (cronologia babilonica). Segundo S.B. Roy.
-2040, O Príncipe Rama nasce em Ayodhya, local do futuro templo Rama.
-2.033: Reinado de Dasharatha, pai do Senhor Rama. enquanto o Rei Ravana, vilão do Ramayana, reina no Sri Lanka.
-2.000: Provável data dos primeiros Ágamas Shivaístas.
-1.900: Final da cultura do Indo-Sarasvati e da era védica. O núcleo da civilização da antiga Índia desloca-se do Sarasvati ao Ganges. O redirecionamento do Rio Sutlej para o Indo provoca grandes inundações no vale do Indo. Mudanças climáticas tornaram a região do Sarasvati imprópria para habitação. A grande catástrofe provocou, também, o desaparecimento do Rio Sarasvati (seu leito foi finalmente fotografado por um satélite da NASA na década de 1990).
-1.568: Lagadha compôs o Jyotisha Vedanga incluindo observações astronômicas que datam esta escritura no solstício de verão que ocorreu em Ashlesha Nakshatra.
-1.500 ↗ -1.200: Período da suposta invasão das tribos indo-arianas vindas das estepes dos Urais, povos indo-europeus que falavam o sânscrito. Os indícios que contestam esta hipótese são analisados no livro 'In search of the cradle of civilization' de G. Feuerstein, Subhash Kak, e D. Frawley. É mais provável que a ocupação indo-ariana tenha ocorrido muito antes dessa data, talvez, associada à civilização de Mehrgarh, por volta de 6.500 AC.
-1.500: Tecnologia do ferro no Dwarka e na Caxemira.
-1.472: Reinado de Dhritarashtra, pai dos Kauravas. Reinado de Yudhisthira, rei dos Pandavas. Vida do sábio Yajnavalkya. Data com base na citação do Mahabharata da ocorrência do solstício de inverno em Dhanishtha, que somente poderia ocorrer nessa data.
-1.450: Submersão cidade de Dvaraka perto do Gujarat, onde o antigo script Brahmi, alfabeto antigo da Índia, era usado. Esta data coincide com a destruição da civilização minoica no mediterrâneo por um grande cataclismo. A recente escavação do Dr. S.R. Rao, ainda maior do que Mohenjo-daro,
revela a cidade Dwarka de Krishna. Possível data da era do Senhor Krishna.
Indícios da segunda fase de urbanização da Índia nos vales onde se encontram os sítios arqueológicos do Indo-Sarasvati como Harappa e nas cidades, mais tarde, ao longo do Ganges.
-1.450: Final da narração do Rig Veda Samhita.
-1.450: A composição dos mais antigos Upanishads perdurou por uma centena de anos, assim como os Vedangas e a literatura dos Sutras.
-1.424: O Mahabharata relata a batalha Bharata. (O professor Subash Kak coloca a batalha em -2449. Outros autores atribuem datas mais antigas).
-1.424: Nascimento de Parikshit, neto e sucessor de Arjuna.
-1.316: O poema épico Mahabharata foi composto pelo Sábio Vyasa. Vyasa é a principal e mais reverenciada personalidade das tradições Hindus. Chamado Veda Vyasa aquele que classificou os Vedas em quatro partes. Segundo as crenças Hindus, Vyāsa é considerado um dos sete Chiranjivins (imortais), sendo cultuado no festival Guru Purnima. É considerado o autor do Mahabharata, e identificado como Badarayana por Vaishnavas, o compilador dos Vedanta Sutras; Também, é considerado por algumas tradições autor do Yoga Bhashya, comentário aos Yoga Sutras de Patanjali (somente possível considerando sua imortalidade).
-1.300: O Mahabharata e o Ramayana receberam alterações até 200 AC. Os Puranas foram editados até 400 DC, também a incipiente literatura Smriti foi composta num período de 400 anos.
-1.124: A dinastia Isin de Nabucodonosor (-1.124 ↗ -1.103) muda a capital para a Babilônia, a maior cidade do mundo, cobrindo 10 mil hectares, ligeiramente maior do que a atual São Francisco. Nabucodonozor é conhecido, principalmente, por sua vitória sobre o Elam e pela recuperação do ídolo de culto a Marduk.
-975: Rei Hiram da Fenícia, em consideração aos interesses do Rei Salomão de Israel, estabelece relações comerciais com o porto de Ofir (em sânscrito: Supara) perto da atual Bombain.
-950: O Povo judeu chega à Índia na frota comercial do rei Salomão. Mais tarde colônias judaicas encontram na Índia um local tolerante.
-950: O desmembramento gradual do sânscrito em línguas vernáculas (prakrit) ocorre ao longo dos próximos 200 anos.
-900: Idade do Ferro na Índia, embora registros indicam o uso do ferro, pelo menos, em -1500.
-900: Primeiros registros da cidade santa de Varanasi (uma das cidades mais antigas do mundo) no rio sagrado Ganges.
-900: O desenvolvimento de utensílios e o uso do ferro e do bronze na Grécia. (Idade do ferro, Idade do bronze)
-850: Os chineses usaram o zodíaco de 28 nakshatra chamado Shiu, derivado do sistema Jyotisha Hindu.
-800: Composição dos mais antigos Upanishads, textos hindus que formam a fonte dos ensinamentos do Vedanta. Postulam um espírito universal (Brahman) e uma alma individual (Atman) estabelecendo a identidade entre ambos. Os Upanishads articulam conceitos monistas, alguns já delineados em textos anteriores - idéias que exerceram importante influência sobre as filosofias hindu e indiana.
-800: Composição dos primeiros smriti, literatura complementar hindu, sua elaboração e desenvolvimento perdurou por 1.000 anos.
-800: Baudhayana foi autor dos Baudhayana sūtras, que trata do dharma, rituais Védicos, etc. Pertenceu à escola do Yajurveda, sendo mais velho que Āpastambha. Também foi autor do mais antigo Sulba Sūtra que estabelece regras para a construção de altares com grandes refinamentos matemáticos
-750: Prakrits, linguagens vernáculas, ou "naturais" desenvolvem-se entre os povos da Índia, já florescentes em 500 AC. O Pali e outros Prakrits são conhecidos, principalmente, a partir de obras budistas e jainistas compostas nesta época.
-750: O sânscrito sacerdotal é gradualmente refinado nos 500 anos seguintes, assumindo a sua forma clássica.
-700: Vida de Zoroastro da Pérsia, fundador do zoroastrismo. Seu livro sagrado, o Zend Avesta, contém muitos versos do Rig e do Atharva Vedas. e estabelece forte distinção entre o bem e o mal definindo o dualismo Deus e Diabo que caracteriza todas as religiões ocidentais posteriores.
-600: Vida de Sushruta, de Varanasi, o pai da cirurgia. Seus tratados ayurvédicos ocupam do diagnóstico pelo pulso, hérnia, catarata, cirurgia plástica, ética médica, 121 instrumentos cirúrgicos, anti-sépticos, uso de drogas para controlar o sangramento, toxicologia, psiquiatria, classificação de queimaduras, obstetrícia, e anestesia cirúrgica.
-600: A seita Ajivika, um grupo de sadhus ateístas, ascéticos, nus, reputados por ferozes maldições, atinge o auge em Mysore perdurando até o século 14. Adversários de Buda e Mahavira, sua filosofia é determinista sustentando que tudo é inevitável.
-600: Tempo de vida de Lao-tsé, fundador do Taoismo na China, autor de Tao-te Ching. Seus ensinamentos moldaram a vida chinesa por 2.000 anos, e permeiam as religiões do Vietnã, Japão e Coréia.
-599 ↗ -527: Era de Mahavira Vardhamana, vigésimo quarto Tirthankara, reverenciado mestre do renascimento Jainista. Seus ensinamentos enfatizam regras estritas de ascetismo e não-violência, impondo o vegetarianismo. (Alguns datam sua vida 40 anos após.)
-563 ↗ -483: Vida de Siddhartha Gautama, o Buda, nasceu em Uttar Pradesh, em uma família principesca Shakya, Shivaísta. Buddha rejeitou a autoridade dos Vedas, a eficácia dos sacrifícios e rituais para a purificação, a existência de um Deus criador onipotente, e o sistema de castas.
-551 ↗ -478: Tempo de vida de Confúcio, fundador do confucionismo. Seus ensinamentos sobre a ética social são a base da educação, da ideologia normativa da classe dominante e da religião chinesa.
-518: Dario I da Pérsia (atual Irã) invade o Vale do Indo. Este rei Zoroastriano se mostra tolerante com religiões locais.
-500: Época de Kapila, fundador do Samkhya Darshana, o mais antigo dos seis sistemas clássicos da filosofia hindu. O Sankhya defende uma dualidade radical entre consciência (Purusha) e matéria (Prakriti), e desenvolve uma teoria da evolução/involução cósmica. Prakriti é pura potencialidade que evolui por ação dos três gunas em vinte e quatro tattvas. O ser senciente (jiva) é um Purusha aprisionado em um corpo físico que por perda da discriminação fica confinado ao Samsara. No processo inverso, involução cósmica, vencendo o apego, jiva emancipa-se de prakrit e atinge moksha, recuperando sua identidade essencial.  
- 500 ↗ -300: Desenvolvimento do aço wootz. Embora antigo, o aço wootz se enquadra na descrição de material avançado, pois apresenta as propriedades de aço carbono de alta dureza, de super-elasticidade, e de alta resistência a impacto.
-500: Construção de barragens para armazenar água na Índia.
-500: Durante os 300 anos seguintes (de acordo com a última datação de Muller) são compostas numerosas escrituras secundárias hindus (smriti): Shrauta Sutras, Grihya Sutras, Dharma Sutras, Mahabharata, Ramayana e Puranas, etc.
-500: Início da era Tamil Sangam (-500 ↗ +500). Agastya escreveu a Agattiyam, primeira gramática Tamil conhecida. Tolkappiyar escreveu o Tolkappiyam Purananuru, também sobre gramática, e afirma que registrou pensamentos sobre poesia, retórica, etc, dos primeiros gramáticos como tributo ao alto desenvolvimento da língua tamil até aquele momento. Ele estabeleceu regras para a assimilação de palavras do sânscrito para o Tamil. Outras obras famosas da era Sangam são as coleções poéticas Paripadal, Pattuppattu, Ettuthokai Purananuru, Akananuru, Aingurunuru, Padinenkilkanakku. Algumas se referem ao culto a Vishnu, Indra, Murugan e Shiva.
-480: Falece Ajita, um Nastika (que não reconhece a autoridade dos Vedas), que ensina uma visão puramente material da vida e que a morte é o final.
-478: Principe Vijaya, exilado por seu pai, rei Sinhabahu, navega do Gujarat com 700 seguidores. Funda o reino Singalês no Sri Lanka. (crônica Mahavamsa, 500 DC.)
-450: O filósofo ateniense Sócrates é reconhecido pela sua sabedoria (-470 ↗ -400).
-428 ↗ -348: Era de Platão, discípulo ateniense de Sócrates. Este grande filósofo funda a Academia de Atenas em -387.
-400: Panini compõe sua gramática sânscrita, o Ashtadhyayi. (Data questionada por alguns estudiosos)
-400: Era de Hipócrates, médico grego e "pai da medicina ", Hipócrates formula o juramento médico, código de ética médica, ainda proferido pelos atuais médicos ocidentais.
-384 ↗ -322: Era de Aristóteles, discípulo de Platão e professor de Alexandre Magno é considerado um dos fundadores da filosofia ocidental, o primeiro filósofo que criou um sistema abrangente na filosofia ocidental englobando a ética, a estética, a lógica, a física e as ciências naturais, a política e a metafísica.
-350: A medição da intensidade das chuvas é introduzida por cientistas indianos.
-326: Alexandre Magno da Grécia invade mas fracassa na conquista do norte da Índia. Seus soldados se amotinam e ele deixa a Índia no mesmo ano. Intercâmbios filosóficos influenciam ambas as civilizações. A escultura grega causa impacto nos estilos hindus. Também a influencia grega se acentua mais tarde nos reinos da Bactria.
-305: Chandragupta Maurya, fundador do primeiro império pan-indiano (-324 ↗ -184), derrota as guarnições gregas de Seleuco, fundador do Império Selêucida na Pérsia e na Síria. Em seu auge, no governo do imperador Ashoka (reinado -273 ↗ -232 ), o Império Maurya dominou quase toda a Índia, exceto o extremo sul.
-302: Kautilya (Chanakya), o ministro de Chandragupta Maurya, escreveu o Arthashastra, um compêndio de leis, procedimentos administrativos e propostas políticas para o funcionamento do reino.
-302: Em sua obra Indica enviada ao rei SeleucoMegasthenes revela à Europa em nítidos detalhes as maravilhas da Índia Maurya: uma sociedade opulenta com fértil agricultura, estruturada em sete castas: filósofos, agricultores, soldados, pastores, artesãos, magistrados e conselheiros.
-300: Os chineses desenvolvem a tecnologia do ferro fundido, somente conhecido na Europa por volta de 1300 DC.
-300: A seita Vaishnava Pancharatra se notabiliza. As seitas Vaishnavas posteriores são baseadas nas crenças Pancharatra.
-300: Início do Império Pandya do Tamil Nadu, sul da Índia. Entre suas realizações encontram-se a Construção do magnífico templo de Minakshi em sua capital, Madurai. e dos templos de Shrirangam e Rameshvaram, com seu salão de mil pilares (1600 BC).
-297: O Imperador Chandragupta abdica para se tornar monge Jainista.
-273: Coroação de Ashoka (-273 ↗ -232, reinado), o maior Imperador Maurya, neto de Chandragupta. Renegando a violência após a brutal batalha de Kalinga em -260, converte-se ao budismo. Grande executor de obras públicas, também, envia missões diplomáticas de paz para a Pérsia, Síria, Egito, África do Norte e Creta, e missões budista para o Sri Lanka, China e outros países do Sudeste Asiático. Sob sua influência, o budismo torna-se uma potência mundial. Sua obra e ensinamentos são preservados através dos éditos inscritos em pilares de rocha (e.g. o leão capitel do pilar em Sarnath, atual emblema nacional da Índia).
-251: O Imperador Ashoka envia seu filho Mahendra (-270 ↗ -204 ) para disseminar o budismo no Sri Lanka, onde é até hoje reverenciado como missionário fundador da fé nacional.
-250: Era de Nandinatha Maharishi, primeiro satguru conhecido do Parampara Kailasa da Sampradaya Nandinatha. Seus oito discípulos são Sanatkumar, Shanakar, Sanadanar, Sananthanar, Sivayogamuni, Patanjali, Vyaghrapada e Tirumular (Sundaranatha).
-221: Início da construção da Grande Muralha da China que atingiu cerca de 8.700 km de comprimento em sua fase final. É o único objeto feito pelo homem visível a partir da lua.
-200: Era de Kanada autor do Vaisheshika Sutra, (ou séc.VI AC.) sábio e filósofo hindu que fundou o sistema filosófico Vaisheshika. O Vaisheshika, um dos mais antigos darsanas, está associado à lógica e a física do sistema Nyaya. Desenvolve uma forma de atomismo espiritual e postula que todos os objetos do universo físico são redutíveis a um número finito de átomos que são guiados pelo Ser Supremo. Na lógica, aceita apenas duas fontes válidas de conhecimento, a percepção e a inferência, diferindo do Nyaya que aceita quatro fontes válidas de conhecimento.
-200: Vida de Tirumular Rishi, discípulo de Nandinatha Maharishi e autor do Tirumantiram em 3047 versos, um amalgama de Agamas Shivaístas e Vedas concisamente articulados com os ensinamentos da Sampradaya Nandinatha, fundamentado na escola monista Saiva Siddahanta do sul Índia.
-200: Vida de Patanjali, discípulo de Nandinatha, autor dos Yoga Sutras, texto fundamental do Yoga (contraparte do sistema Samkhya), uma das seis escolas ortodoxas da filosofia indiana. O Yoga Sutras é a ciência da concentração mental (meditação), e propõe a união da alma individual com a alma universal.
-200: Vida de Tiruvalluvar, poeta tecelão que vivia perto da atual Madras, autor de Tirukural, "Dísticos Sagrados", o clássico trabalho Tamil sobre ética e política (entronizado nos atuais tribunais indianos).
-200: Era de Jaimini, autor do Mimamsa Sutra. O Mimamsa de Jaimini é uma reação ao misticismo ritualista da religião védica; desenvolve uma exegese dos Vedas no que diz respeito à prática ritual (karma) e dever religioso (dharma).
-200: Era de Akṣapāda Gautama, autor do Nyaya Sutras, sistematizador do sistema Nyaya (metodologia e lógica). O Nyaya é mais do que uma simples lógica é, realmente, um caminho para a liberação (moksha) através do verdadeiro conhecimento; Por extensão uma forma de epistemologia..
-200: O Yoga Yajnavalkya é o tratado clássico sobre yoga atribuído ao sábio Yajnavalkya. Sua origem pode estar entre o Séc. II AC e o Séc. IV DC. O Yoga Yajnavalkya precede a maioria dos textos sobre yoga com exceção do Yoga Sutras de Patanjali.
-150: Nāgasena foi um Brâmane que se tornou monge Budista atingindo a iluminação por volta de 150 AC. Suas respostas às questões colocadas por Menandro (Milinda em Pali), Rei Indo-Grego do noroeste da India (atual Pakistão), foram registradas no texto Milinda Pañha.
-150: Início da ocupação budista das cavernas de Ajanta perto da atual Hyderabad. A construção dos 29 mosteiros e das galerias continuou até cerca de 650 DC. Os famosos murais foram pintadas entre 600 e 650 BD.
-145: Início do Império Chola (-145 ↗ 1300 DC) do Tamil Nadu, de origens modestas atinge o pináculo em organização governamental e na realização artística, incluindo a construção de grandes obras de irrigação.
-130: Término do reinado de Menandro (Milinda), rei Indo-grego que se converteu ao budismo.
-58: Início da utilização do calendário Hindu Vikrama Samvat.
-50: Início do Império Kushana (-50 ↗ -220 ). Esta dinastia mongol converteu-se ao budismo e dominou a maior parte do subcontinente indiano, Afeganistão e partes da Ásia Central.


-4: Jesus de Nazaré (-4 ↗ 30), fundador do cristianismo, nasceu em Belém (consenso bíblico atual).

50: Indianos do sul ocupam Funan, Indochina. Kaundinya. Um brahmane indiano torna-se o rei e impõe o Shivaísmo como religião oficial.

53: Circulam lendas da morte de São Tomé em Madras, um dos doze Apóstolos de Cristo e patrono da Igreja dos cristãos de São Tomé.

60: O Budismo é introduzido na China pelo Imperador Ming Di (reinado: 28 ↗ 75 DC ) após sua conversão à fé budista. Traz dois monges da Índia e constrói o templo do cavalo branco em Henan.

75: Um príncipe do Gujarat chamado Ajishaka invade Java.

78: Início do calendário Shaka (Kshatrapas Ocidentais) Hindu.

78 ↗ 102: Gautamiputra Satakarni derrotou os Yavanas, Sakas, Pahlavas, e restabeleceu a antiga glória dos Satavahanas.

80: Cisão entre os Jainistas, de um lado os monges Shvetambara "vestidos de branco", e do outro os Digambara, "monges nus".

80 ↗ 180: Vida de Charaka. Médico da corte do Rei Kushan; formula um código de conduta para os médicos e escreve o Charaka Samhita, um manual da medicina ayurveda.

100: Era de Nāgārjuna, um dos principais filósofos do Budismo Mahāyāna, é creditado como autor de vários tratados sobre rasayana (alquimia) da medicina ayurvédica.

100: Zhang Qian da China estabelece rotas de comércio para a Índia e regiões mais distantes como Roma, conhecida como a "Rota da Seda".

105: Invenção do papel na China.

175: Ptolomeu, astrônomo grego, desenvolve o sistema planetário geocêntrico em sua principal obra o "Almagesto".

200: Era de Lakulísh, famoso guru que liderou um  movimento reformista dentro do Shivaísmo Pashupata.

200: Expansão do Hinduísmo no sudeste da Ásia.

205 ↗ 270: Vida de Plotino, filósofo grego monista, natural do Egito que transformou a revitalização do platonismo no Império Romano naquilo que os atuais estudiosos chamam de neoplatonismo, influenciando o pensamento islâmico e europeu.

250: A dinastia Pallava (250 ↗ 885) se estabelece no Tamil Nadu. É responsável pela construção dos templos Kailasanathar e Kamakshi Amman na capital Kanchi, e grandes monumentos de pedra do século VII em Mahabalipuram.

275: O monastério budista Mahavihara foi fundado em Anuradhapura, capital do Sri Lanka.

350 ↗ 500: Surgimento do tantrismo hindu e budista.

350: Floresce a Imperial dinastia Gupta (320 ↗ 540). Durante esta "Era clássica" foram estabelecidos padrões na literatura, na arquitetura, na arte e na filosofia. Este império do norte da Índia promoveu o Vishnuísmo e o Shivaísmo e, no seu auge, governou ou recebeu tributos de quase toda a Índia. Também foi tolerante com o Budismo.

350: Era de Kalidasa, grande poeta e dramaturgo sânscrito, autor de Shakuntala e Meghaduta. (Segundo o Prof Subash Kak, ele teria nascido em 50 AC.)

350: A dinastia Licchavi (350 ↗ 900) estabelece o domínio hindu no Nepal. O pequeno reino se torna o maior centro intelectual e comercial entre o Sul e na Ásia Central.

358: Os Hunos, excelentes arqueiros e cavaleiros, invadem o leste da Europa.

375: Maharaja Chandragupta II Vikramaditya, renomado monarca Hindu, reina até 413 DC expandindo o próspero império Gupta para o norte além do rio Indo.

391: O imperador romano Teodósio destrói templos gregos helenísticos em favor do Cristianismo.

400: Elaboração das Leis de Manu (Manu Dharma Shastras). Seus 2.685 versos codificam a cosmogonia, o sistema ashrama (fases da vida), administração governamental, assuntos domésticos, casta e moralidade (outros datam em 600 AC).

400: Os polinésios navegando em "outriggers" (canoas com estabilizadores) chegaram até o Havaí e Ilha de Páscoa.

400: Chaturanga, precursor Indiano do xadrez, evoluiu do Ashtapada, um jogo de corrida baseado em tabuleiro, para um jogo de guerra a quatro mãos jogado com um dado. Mais tarde, em deferência às leis de Manu que proibiu o jogo, os jogadores descartaram o dado e criaram o Shatranj, um jogo de estratégia com duas faces.

400 (ca): Mallanaga Vatsyayana escreveu o Kamasutra, famoso texto de erotismo.

400 ↗ 500: Data provável da composição do Samkhya Karika de Ishvara Krishna, texto fundamental do Samkhya Dharsana.
Fundação da Universidade Budista de Nalanda.

440: Os afrescos da caverna de Ajanta (segunda fase) ilustram o grau de habilidade e talento que os indianos alcançaram durante centenas de anos.

450: Data provável da composição do Yoga Bhashya, o mais antigo comentário dos Sutras de Patanjali, atribuído a Veda Vyasa.

450 ↗ 535: Era de Bodhidharma, 28º patriarca do Budismo indiano, funda o Budismo Ch'an na China (520 DC), conhecido como Zen no Japão.

450: A Invasão dos Hephtalitas (~ 450 ↗ 565) causou grande impacto no norte da Índia. Estes "Hunos brancos" (ou Hunas), provavelmente, da China não se relacionavam com os Hunos invasores da Europa.

499: Aryabhata I  (~476 ↗ 550), astrônomo e matemático indiano, calculou com precisão μ (pi) em 3,1416, e o ano solar em 365,3586805 dias. Mil anos antes de Copérnico, Aryabhata propõe um sistema planetário heliocêntrico com orbitas elípticas e uma Terra esférica girando em seu eixo, explicando a rotação aparente do céu. Aryabhata escreveu a primeira obra sobre trigonometria plana e esférica, também produziu sobre álgebra e aritmética. (Indian Mathematics)

500: O Mahavamsa registrou, em Pali, a história dos governantes do Sri Lanka deste 500 AC, escrito provavelmente por um monge budista. Após 500 DC, o Culavamsa continua o relato até 1815 DC.

500: tradições folclóricas sectárias são revistas, elaboradas e  produzidas em texto como os Puranas, compêndio enciclopédico do hinduísmo de cultura e mitologia.

510: O Hephtalita Mihirakula, vindo de além do Rio Oxus (atual Amu Darya) aniquila o poder imperial Gupta. Logo controla grande parte do norte da Índia.

533: Yasodharman de Malwa juntamente com o Imperador Gupta Baladitya derrotam e expulsam os Hephtalitas do norte da Índia.

543: Pulakeshin I funda a Dinastia Chalukya (~ 543 ↗ 757; 975 ↗ 1189), no Gujarat e mais tarde em áreas maiores no oeste da Índia.

548: O Imperador Kimmei reconhece oficialmente o budismo no Japão.

558: O Imperador Turco Khosrau I e Persas derrotam os Hephtalitas na batalha de Bukhara.

570 ↗ 632: Era de Maomé, pregador da tribo Bedoin Quraysh, fundador do Islã e autor do Alcorão. Começa a pregar em Meca, pedindo o fim dos "demônios e ídolos " da religião árabe e a conversão para a religião do Deus único, Alá.

590 ↗ 671: Era do Nayanar Tirunavukkarasar santo Shivaísta. Escreveu 312 músicas, totalizando 3.130 versos do Tirumurai. Seu contemporâneo, o santo criança Nayanar Sambandar, dirige-se a ele carinhosamente como Appar, "pai".

597 ↗ 668: Era de Brahmagupta, proeminente astrônomo indiano, que escreveu sobre a gravidade e estabeleceu o sistema astronômico Hindu em sua obra Brahma Sphuta Siddhanta. Foi o primeiro que elaborou regras de cálculo com zero.

600: O Rei Pallava Narasinhavarman I foi um grande devoto de Siva. Ele compartilhou o amor à arte de seu pai completando o trabalho iniciado por Mahendravarman I em Mahabalipuram.

600 ↗ 680: Bhāskara I, matemático indiano, provavelmente foi o primeiro a escrever números do sistema Hindu decimal com um círculo para o zero , e que deu uma notável aproximação racional para a função seno em seu comentário sobre o trabalho de Aryabhata, Āryabhaṭīyabhāṣya. Também escreveu duas obras astronômicas na linha da escola de Aryabhata, o Mahabhaskariya e o Laghubhāskarīya.

606: O budista Harshavardhana, reinando entre 606 ↗ 644 DC, estabelece o primeiro grande império após as invasões dos Hephtalitas no norte da Índia até o rio Narmada no sul.

630: Vagbhata escreveu o Ashtanga Sangraha, uma das principais obras do ayurveda.

630 ↗ 634: Chalukya Pulakeshin II torna-se Senhor do sul da Índia ao derrotar Harshavardhana, Senhor do norte.

630 ↗ 644: O peregrino chinês Hiuen-Tsang (Xuanzang) viaja através da Índia registrando numerosas observações: A população de Varanasi chega a 10.000 habitantes com  maioria Sivaísta; A universidade budista de Nalanda tem 10.000 residentes, incluindo 1.510 professores, e conta, em sua biblioteca, com milhares de manuscritos, etc.

641 ↗ 645: Os árabes muçulmanos conquistam a Mesopotâmia, Egito e Pérsia.

650: Tempo de vida do santo Nayanar Shivaísta Tirujnana Sambandar. Nascido brahmane em Tanjavur, ele escreveu 384 canções totalizando 4.158 versos que compõem os três primeiros livros do Tirumurai. 

686 ↗ 705:  Reinado do Rei Pallava Rajasinha construtor do Kailasanathar Temple em Kanchipuram.

712: Os muçulmanos conquistaram a região do Sind (Paquistão), e estabeleceram condições para as expedições de pilhagem que exauriram a riqueza do Norte da Índia.

738: A aliança entre as dinastias Chalukya do sul e a Pratihara do norte derrotou as invasões muçulmanas no Rajastão.

750 ↗ 1159: A dinastia Pala desponta no Bihar e em Bengala, últimos patronos reais do budismo que o ajudaram a se estabelecer no Tibete.

750: Início da construção do templo do monte Kailash, durante a dinastia Rashtrakuta, pelo rei Krishna I. Notável exemplo da arquitetura Dravidiana, o templo foi esculpido em uma montanha de rocha em Ellora.

750: Era de Bhavabhuti, dramaturgo sânscrito, suplantado apenas por Kalidasa. Escreveu Malati Madhava.

750: Valmiki escreveu os 29.000 versos do Yoga Vasishtha.

788 : Adi Shankara (788 ↗ 820) famoso monge vedantino advaita da tradição Smarta, escreveu poemas místicos e comentários de textos filosóficos, incluindo o Viveka Chudamani, também estabelece as regras de dez ordens monásticas chamadas Dashanami. Expôe o Mayavada Advaita, enfatizando o mundo como ilusão (Maya) e Deus (Brahman) como a única Realidade.

800: A revitalização Bhakti abrevia a vida do budismo no sul da Índia. No Norte, Buda é venerado como a nona encarnação de Vishnu.

800: Vida de Nammalvar, o maior dos santos Alvar. Seus poemas modelaram as crenças dos Vaishnavas do Sul até os dias atuais.

800: Era de Vasugupta, fundador do Shivaísmo da Caxemira, uma escola filosófica monista.

800: Tempo de vida de Andal, mulher santa do Tamil Nadu. Escreveu poemas devocionais ao Senhor Krishna. Desapareceu aos 16 anos.

846: Vijayalaya restabelece sua dinastia Chola, que ao longo dos 100 anos seguintes cresce e se fortalece como um dos maiores Impérios do Sul da Índia.

875: As conquistas muçulmanas estendem-se da Espanha ao vale do indo.

900: Tempo de vida de Matsyendranatha, fundador da seita Natha e sistematizador do Hatha Yoga.

950 ↗ 1001: Era de Sembiyan Mahadevi, rainha do Rei Chola Gandaraditya  (950 ↗ 957) e patrona do Shivaísmo, construiu dez templos. Educou seu sobrinho príncipe, filho de Sundara Chola, como grande construtor de templos, mais tarde, Imperador Rajaraja I.

950: Tempo de vida de Gorakshanatha discípulo de Matsyendranatha. Escreveu vários livros, entre eles o SiddhaSiddhanta Paddhati e o Goraksha Samhita.

950 ↗ 1015: Vida do guru Abhinavagupta, do shivaísmo da Cachemira. É considerado um dos principais filósofos indianos. Também considerado importante músico, poeta, dramaturgo, exegeta, teólogo e lógico - uma personalidade erudita que realizou uma relevante síntese do pensamento indiano.

985: Rajaraja I (985 ↗ -1014) Assume o trono Chola do sul da Índia e inaugura uma nova era na arquitetura de templos: Tanjavur, Darasuram, Tirubhuvanam e Chidambaram. A influência Pallava arquitetônica enfraquece.

1.000: Gorakshanatha escreveu o Siddha Siddhanta Paddhati, "Livro guia sobre a Doutrinas dos Siddhas". A natureza de Deus e do universo, a estrutura dos chakras, o poder kundalini e métodos para realização são explicados em 353 versos.

1.000: Algumas comunidades Hindus do Rajastão, do Sind e de outras áreas, antepassados dos Romani atuais, ou ciganos, deslocam-se lentamente para a Pérsia e Europa.

1.000: As grandes invenções chinesas: a bússola, o papel, a imprensa com tipos móveis, e a pólvora, causaram enorme influência no desenvolvimento da civilização chinesa e grande impacto global. (Timeline of historic invenctions)

1.001: Os Muçulmanos Turcos avançam para o noroeste sob comando de Mahmud de Ghazni, derrotando Jayapala (dinastia Hindu de Shahi), Afghanistão e Punjab em Peshawar. Esta é a primeira grande conquista muçulmana na India. 

1.010: Os Tirumurai, hinos devotionais dos santos Shivaístas do Tamil, são coletados em uma antologia por Nambiandar Nambi

1.017 ↗ 1137: Vida de Ramanuja de Kanchipuram, santo filósofo Tamil da seita Shri Vaishnava que continua a tradição bhakti dos santos Alvar do sul da Índia. Sua filosofia monista fortemente teística do Vishishtadvaita Vedanta resgata a tradição do Pancharatra. O mais importante oponente do sistema de Shankara, morreu com a idade 120 anos enquanto dirigia o monastério de Shrirangbam.

1.018 ↗ 1.060: Era de Bhojadeva da dinastia Paramara, Rei do Gujarati, poeta, artista, filósofo e teólogo monista do Shivaísmo Siddhanta.

1.024: Mahmud de Ghazni saqueia o templo Shivaísta de Somnath, destruindo o Linga e matando 50.000 defensores Hindus. Constrói mais tarde uma mesquita com as paredes restantes. 

1.025: O Maharaja Rajendra I, soberano Chola envia expedições navais vitoriosas à Burma, à Malaysia e à Indonésia, iniciando o declínio do império Budista Mahayana de Shrivijaya.

1.052 ↗ 1.135: Jetsun Milarepa, famoso yogui Tibetano, é considerado uma das mais notáveis personalidades da história da escola Kagyu do  Budismo Tibetano.

1.114 ↗ 1.185: Bhāskara II foi um astrônomo e matemático indiano. Seu principal trabalho Siddhānta Shiromani é composto por quatro partes: Lilavati, Bijaganita, Grahaganita e Goladhhyaya que tratam de aritmética, álgebra, órbitas planetárias e geometria da esfera. Ele é particularmente conhecido pela descoberta dos princípios do cálculo diferencial e suas aplicações aos problemas astronômicos.

1.150:O soberano Suryavarman II do Khmer termina o templo de Angkor Wat (atual Camboja), É o maior templo Hindu da Ásia. 

1.191: Eisai funda a seita Rinzai do zen, no Japão. 

1.193: Qutb ud-Din Aybak funda o primeiro sultanato muçulmano de Delhi (1193 ↗ 1290). 

1.197: A grande universidade budista de Nalanda é destruída pelo Muçulmano Ikhtiyar ud-din

1.200: Todo norte da Índia foi dominado pelos muçulmanos. 

1.227: Falecimento do Imperador Genghis Khan da Mongolia, conquistador de uma vasta área de Beijing na China até o Irã e norte do Tibet, o maior império que o mundo já viu. 

1.230 ↗ 1.260: Construção do templo de Surya em Konark, Orissa, India. 

1.272: Marco Polo visita a Índia a caminho a China. 

1.280: A dinastia Mongol (Yuen) (1280 ↗ 1368) patrocinou muitas traduções de textos Hindus do Sânscrito para o chinês. 

1.296: Ala-ud-din, segundo rei da dinastia de Khalji, governa a maior parte da India após a conquista do sul da Índia estendendo o domínio muçulmano até Rameshwaram

1315 ↗ 1387: Sayana descreve num comentário ao Rig Veda que a luz do sol percorre 2202 yojans (1 yojan = 9 milhas) em meio naimesh (1 naimesh = 16/75 segundos), Obteve, então, para a velocidade da luz o valor de 299.338 km/s, com um surpreendente erro de menos de 1 %.

1350: Svatmarama escreve o Hatha Yoga Pradipika. O Hatha Yoga Pradipika é o texto mais antigo existente sobre o hatha yoga. O livro é composto de quatro Upadeśas (capítulos), que incluem informações sobre asanaspranayamas, chakras, kundalini, bandhas, kriyas, shakti, nadis e mudras entre outros temas.

1.395: Johannes Gutenberg (1395 ↗ 1468) inventa a primeira imprensa ocidental de móvel-tipo na Alemanha.

1.398: Tamerlane (Timur) invade Índia e saqueia Deli porque seu sultanato muçulmano era demasiado tolerante com a idolatria. Seguidor Mongol do Islã, foi um do mais cruéis de todos os conquistadores. 

1.399: Hardwar, cidade da peregrinação do Ganges foi saqueada por Timur. 

1.433: China enclausura-se do mundo exterior proibindo viagens ao oeste. (Primeira cortina de bambu.) 

1.440 ↗ 1518: Vida de Kabir, santo e poeta Vaishnava venerado por muçulmanos e Hindus. (Suas canções em Hindi permanecem imensamente populares nos dias atuais.) 

1.450 ↗ 1547: A vida de Mirabai (Meera Bai), princesa santa Vaishnava da casta militar, casou-se com o príncipe Bhoj Raj, Devota de Krishna, após a morte do marido, renuncia à vida mundana e vagueia pela Índia cantando a Ele suas belas composições místicas que, ainda, são cantadas nos dias atuais.

1.469 ↗ 1538: Vida do guru Nanak, fundador de Sikhismo, radical reformista Hindu prega calorosa devoção, fé no guru, repetição nome de Deus.

1.486 ↗ 1543: Vida de Chaitanya, fundador bengali da seita popular Vaishnava que proclama Krishna com Supremo Deus e enfatiza o sankirtan, grupo que canta e que dança.

1.492: Procurando a Índia, Cristovão Colombo, chega num local que chamou São Salvador no arquipélago das Bahamas tendo, então, descoberto a América. 

1.498: Vasco da Gama de Portugal chega Calicut, Kerala. Primeiro europeu a encontrar a rota marítima para a Índia. 

1.526: O conquistador Babur (1.483 ↗ 1.530) descendente direto de Timur funda em 1529 o império indiano Mongol (1526-1761), consolidado por seu neto Akbar

1.532 ↗ 1.623: Vida do Monge-poeta Tulsidas. Escreveu o Ramacharitamanasa (1.574 ↗ 1.577), a maior obra medieval em Hindi (baseada em Ramayana). Contribui para o avanço da adoração a Rama. 

1.542: Padre jesuíta português Francisco Xavier (1506 ↗ 1552), proeminente missionário católico, desembarca em Goa para treinar e empregar o clero nativo nos esforços da conversão religiosa, leva o cristianismo à Índia, ao arquipélago Malaio e ao Japão. 

1.556: Akbar (1542 ↗ 1605), neto de Babur, terceiro imperador Mughal, destroniza o Islão como a religião oficial e declara-se soberano imparcial de Hindus e muçulmanos; incentiva a arte, cultura, e a tolerância religiosa.

1.565: Astrônomo polonês Copernico (1.473 ↗ 1.543) desenvolveu o sistema heliocêntrico com órbitas circulares em torno do sol. Sua obra "De revolutionibus orbium coelestium" publicada após sua morte atinge grande notoriedade entre astrônomos e matemáticos. 

1.569: Akbar captura a fortaleza de Ranthambor, terminando a independência Rajput, e controla quase todo o Rajastão. 

1.600: Adoção da "Roda persa" para levantar a água por bois, uma das poucas inovações no cultivo desde a civilização do vale de Indo. 

1.600: Decreto real cria a Companhia Britânica das Índias orientais, iniciando um processo que conduz finalmente à subjugação da Índia à Coroa britânica.

1.605: Término da construção do templo dourado sikh (Harimandir) coberto completamente com folhas de ouro, em Amritsar, Punjab,. 

1.608 ↗ 1.681: Vida de Ramdas, poeta místico, santo Marathi. Entre suas obras encontram-se Sri Manāche Shlok, um pequeno livro de meditação e um grande volume, Dasbodh, com instruções para a prática espiritual. Foi guru de Shivaji Maharaj, 

1.610: Galileo Galilei (1.564 ↗ 1.642) aperfeiçoa o telescópio, com que confirma a teoria Copernicana. Foi condenado como herético pela inquisição católica por suas descobertas. 

1.627 ↗ 1.680: Vida de Shivaji Bhosale, audacioso general fundador do império Maratha na Índia (1674 ↗ 1818). Emancipou extensas áreas invadidas pelos Muçulmanos incorporando-as ao controle Hindu. Primeiro governante indiano a criar uma poderosa força naval. 

1.647: Shah Jahan termina o Taj Mahal em Agra ao lado do rio Yamuna. Sua construção empregou 20.000 trabalhadores durante 15 anos com custo equivalente a 25 milhões de dólares. 

1.649: Término do forte vermelho em Deli por Shah Jahan. 

1650: Robert de Nobili (1577 ↗ 1656), missionário português do jesuíta, chega em Madurai. Em seguida declara-se um brahmane, veste-se como monge Hindu e compõe versos em tamil para pregar o cristianismo.

1658: Aurangzeb foi o sexto imperador Mugal (1.618 ↗ 1.707) e governou a maior parte do subcontinente indiano mas abandonou a política de tolerância de seus antecessores muçulmanos.
  
1.675: Aurangzeb executa o guru sikh Tegh Bahadur, iniciando a rivalidade Sikh-Muçulmana presente, ainda, nos dias atuais. 

1.688: Aurangzeb demole todos os templos em Mathura, cerca de 1.000. (Durante seu reino, as soberanias muçulmanas destroem aproximadamente 60.000 templos Hindus em toda a Índia, construindo mesquitas em 3.000 locais.) 

1.708 ↗ 1.737: Jai Singh II constrói observatórios astronômicos em Deli, em Jaipur, em Ujjain, em Benares e em Mathura. 

1.718 ↗ 1.775: Vida do Shakta Ramprasad, santo poeta bengali. 

1.725: O Padre jesuita Hanxleden foi o primeiro europeu a compor uma gramática de sânscrito (em latim). 

1.757: Os britânicos derrotam o imperador Mughal Siraj-Ud-Daulah e assumem o controle de Bengala, a província mais rica da Índia. 

1.761: O exército afegão de Ahmad Shah Durrani derrota o exército Maratha Hindu em Panipat, pondo fim à hegemonia Maratha no norte da Índia. Estima-se em 200.000 Hindus mortos na estratégica batalha de oito horas.

1.769: Prithivi Narayan Shah, soberano do principado de Gorkha, conquista o vale do Nepal e transfere a capital para Kathmandu. Estabelecendo uma nação Hindu no Nepal. 

1.773: A Companhia Britânica das Índias orientais obtêm o monopólio na produção e venda do ópio em Bengala. 

1.784: O juiz e linguista William Jones funda em Calcutá a Sociedade Real Asiática. Primeira instituição de estudos indianos. 

1.786: William Jones usa o termo Ariano do Rig Veda ("nobre") para nomear a língua mãe do Sânscrito, do grego, do Latin e das línguas germânicas (denominada agora indo-europeu).

1.792: O Governador Geral da Índia Charles Cornwallis derrota o Sultão de Mysore Tipu Sahib, o mais poderoso governante do sul da Índia, principal baluarte da resistência à expansão britânica na Índia. 

1.803 ↗ 1.882: Vida de Ralph Waldo Emerson, poeta americano que contribuiu para a difusão do Bhagavad Gita e dos Upanishads no ocidente. 

1.824 ↗ 1.883: Vida do Swami Dayananda Sarasvati, fundador do Arya Samaj (1.875), movimento reformista Hindu que propõe um retorno aos valores e às práticas dos Vedas. Autor de Satya Prakash, "Luz sobre a Verdade". 

1.828: Ram Mohan Roy (1.772 ↗ 1.833) funda a Adi Brahmo Samaj em Calcutá, propondo uma reforma sócio-religiosa. Influenciado pelo Islão e pelo cristianismo, rejeita o politeísmo, a adoração de ídolos, dos avataras, a doutrina do karma e a reincarnação, o sistema de castas, sati (autoimolação das viúvas), entre outros.

1.835: O governo Britânico promove a educação ocidental na Índia, conforme recomendação do Barão Macaulay. O inglês torna-se a língua oficial do governo e da corte.

1.836 ↗ 1.886: Vida de Shri Ramakrishna, Santo Shakta bengali, guru do Swami Vivekananda. Praticando o cristianismo, o islamismo e outras religiões vivencia a unidade subjacente às religiões. 

1.838 ↗ 1.884: Vida de Sen Keshab Chandra, reformista Hindu que fundou a Brahma Samaj da Índia, um ramo radical da Adi Brahmo Samaj de Ram Mohan Roy. 

1.840: Joseph de Goubineau (1.816 ↗ 1.882), erudito francês, publicou a "Desigualdade das raças humanas". Onde proclama a superioridade da "Raça Ariana", e estabelece a doutrina aristocrática do Arianismo que, mais tarde, foi incorporada por Adolf Hitler como base de seu Arianismo racista.

1.850: Primeira tradução inglesa do Rig Veda por H. H. Wilson, primeiro a ocupar a cadeira patrocinada por Joseph Boden em Oxford, "fundada para promover a tradução das escrituras sânscritas em inglês, assim ajudando seus compatriotas na conversão dos nativos da Índia ao cristianismo".

1.851: M. Monier-Williams (1.819 ↗ 1.899) publica o dicionário Inglês-Sânscrito. Seu dicionário completo foi publicado em 1899 após três décadas do trabalho. 

1.853 ↗ 1.920: Vida de Sarada Devi, esposa de Sri Ramakrishna. 

1.853: Max Muller (1.823 ↗ 1.900), cristão alemão, filologista e Orientalista, defende o uso do termo Ariano para nomear o hipotético povo de Ásia central, antepassado comum de Hindus, persas e gregos. Muller especula que esta "Raca Ariana" dividiu-se: o ramo oeste invadiu a Europa e o leste invadiu a Índia e a China, em torno de 1500 AC. Da sua língua (atual indo-europeu), afirma Muller, derivou o Sânscrito, o grego, o Latin, alemão, etc. e de todas as línguas das civilizações antigas descendentes desta presumida raça Ariana.

1.856: O Bispo missionário católico Robert Caldwell introduz o termo Dravidiano para se referir aos povos indianos do sul. 

1.861 ↗ 1.941: Vida de Rabindranath Tagore, como poeta, romancista, músico e dramaturgo, reformulou a literatura e a música bengali no final do século XIX e início do século XX. Foi condecorado com o Prêmio Nobel para a literatura em 1913. 

1.863 ↗ 1.902: Vida de Swami Vivekananda, catalizador do renascimento Hindu e dinâmico missionário no ocidente.

1.869 ↗ 1.948: Era de Mohandas Karamchand Gandhi, nacionalista hindu e ativista político que desenvolveu a estratégia de desobediência sem violência levando a Grã-Bretanha conceder a independência à Índia em 1.947.

1.872 ↗ 1.950: Vida de Sri Aurobindo Ghosh, Bengali nacionalista indiano, poeta, iogue e filósofo. Desenvolveu um novo método de prática espiritual que chamou de Yoga Integral. O tema central de sua visão era a transformação da vida humana em vida divina. Ele acreditava numa realização espiritual que não apenas libertava o ser humano mas que, também, transformava sua natureza permitindo a vida divina na terra.

1875: Fundação da Sociedade Teosófica por H. Blavatsky, H. S. Olcott e W. Q. Judge, em Nova York, EUA, mais tarde transferida para Madras, Índia. Incluiu entre seus objetivos a tradução de textos filosóficos do sânscrito para o inglês.

1.876 ↗ 1.890: Max Muller, pioneiro das 'religiões comparadas' como disciplina acadêmica, publica as traduções para o inglês de 50 volumes dos "Livros Sagrados do Oriente".

1.877 ↗ 1.947: Tempo de vida de Ananda Coomaraswamy, natural do Sri Lanka, foi filósofo e metafísico, assim como historiador pioneiro e filósofo das artes indianas.

1.879 ↗ 1.950: Tempo de vida de Sri Ramana Maharshi, Hindu Advaita renunciante santo de Tiruvannamalai, sul da Índia.

1.883 ↗ 1966: Vida de Swami Kuvalayananda renomado educador e pesquisador científico. Pioneiro no estudo científico dos fundamentos do Hatha Yoga. Fundou o Kaivalyadhama Health and Yoga Research Center onde realizou a maior parte de suas pesquisas, publicadas no jornal Yoga Mimamsa.

1.886: Nascimento de René Guénon, primeiro filósofo europeu a se tornar um Vedantino, diz o biógrafo Robin Waterfield.

1.887 ↗ 1.963: A vida de Swami Sivananda, Hindu universalista, guru, autor de 200 livros, fundador da Sociedade da Vida Divina.

1.887 ↗ 1.952: Vida de Surendranath Dasgupta, ilustre estudioso do Sânscrito e da Filosofia Indiana. Publicou vários livros ente os quais destacam-se a extensa Historia da Filosofia Indiana em cinco volumes, Ensaios Filosóficos, e Yoga – Como Filosofia, Religião, etc.

1.888: Max Muller, revendo sua posição escreve, "Ariano, em linguagem científica, é absolutamente inaplicável à raça. Se eu disser Arianos, quero dizer, nem sangue, nem ossos, nem cabelo, nem crânio, quero dizer simplesmente aqueles que falavam a língua ariana."

1.888 ↗ 1.975: Vida de Sarvepalli Radhakrishnan, Um dos estudiosos mais influentes da Índia em religião comparada e filosofia. Radhakrishnan construiu uma ponte entre o Oriente e o Ocidente, mostrando como os sistemas filosóficos de cada tradição são compreensíveis dentro dos termos de outro. Ele escreveu uma autêntica exegese da literatura filosófica e religiosa da Índia em inglês.

1.888 ↗ 1989: Vida de Tirumalai Krishnamacharya, mestre de yoga, terapeuta ayurvédico, escritor ensaísta e poeta. Krishnamacharya tornou o hatha yoga acessível popularmente sendo frequentemente reverenciado como o “pai do yoga moderno”; Publicou quatro livros sobre yoga - Yoga Makaranda, Yogaasangalu, Yoga Rahasya, e Yogavalli; Entre seus discípulos encontram-se renomados mestres: seu filho T.K.V. Desikachar, Indra Devi, B.K.S. Iyengar, K. Pattabhi Jois, e A. G. Mohan.

1.893: Swami Vivekananda representou o hinduísmo no Parlamento mundial das Religiões em Chicago, primeiro encontro inter-religioso que convenceu a opinião ocidental quanto à profundidade da filosofia e da cultura da Índia.

1.893 ↗ 1.952: A vida de Paramahamsa Yogananda, universalista hindu, fundador da Self Realization Fellowship (1925) nos EUA, famoso autor do "Autobiografia de um Iogue" (1946), livro popular que propagou mundialmente as tradições espirituais da Índia.

1896 ↗1982: Vida de Anandamayi Ma, yogini inebriada de Deus e santa bengali.

1896 ↗ 1977: Vida de Bhaktivedanta Swami Pradhupada. Fundador da Consciência de Krishna (ISKCON) nos EUA em 1966. Morre 11 anos mais tarde.

1.903 ↗ 1984: Vida de Gopi Krishna, shivaísta do Kashmir, yogi, educador e escritor. Em sua autobiografia, intitulada "Kundalini: A energia evolutiva humana", descreve sua própria experiência com o despertar e a ascensão de kundalini.

1.908 ↗ 1.982: Tempo de vida do Swami Muktananda, guru shivaísta do Kashmir e fundador do Siddha Yoga Dham.

1.914 ↗ 2002: Vida de Swami Satchidananda, fundador do Instituto de Yoga Integral e do Santuário Luz da Verdade Universal nos EUA.

1.917 ↗ 1.993: A vida de Swami Chinmayananda, escritor vedantista, conferencista, fundador da Missão Chinmaya e um co-fundador do Hindu Parishad Vishva.

1.919: O Brigadeiro Dyer ordena à tropa de Gurkha para atirar em manifestantes desarmados em Amritsar matando 379 pessoas inclusive crianças. O massacre de Amritsar impele Gandhi a exigir a plena independência da Índia do opressivo governo britânico.

1.920: Gandhi formula a satyagraha, "firmeza na verdade", estratégia de não-cooperação e não-violência contra os governantes britânicos da Índia. Mais tarde resolve usar apenas o dothi para resgatar o tear, até tecia sua própria vestimenta por simplicidade.

1.920: Ravi Shankar nasceu em Varanasi, mestre da cítara, compositor e fundador da Orquestra Nacional da Índia, contribuiu para a popularização da música indiana no ocidente.

1.922: A escola de Tagore em Shantineketan (fundada em 1.901) foi transformada na Universidade Vishva Bharati em 1951.

1.924: Sir John Marshall (1.876 ↗ 1.958) descobre relíquias da civilização Hindu no Vale do Indo onde foram descobertas as cidades de Harappa e Mohenjo-Daro.

1.925: Nascimento de Hiroshi Motoyama, cientista e yogi. Em seu livro "Teorias dos Chakras - Ponte para a Consciência Superior" descreve sua própria experiência com o despertar de Kundalini, e através de seu equipamento experimental estabelece uma correlação entre a teoria dos chakras / nadis e a teoria dos pontos / meridianos da medicina chinesa.

1.926: Nascimento de Satya Sai Baba, universalista hindu guru carismático, educador, filantropo e operador de milagres.

1.927 ↗ 2.001: Vida de Sivaya Subramuniyaswami, natural da California, EUA. Adotou o Shivaísmo na juventude, e viajou para a India e Sri Lanka onde foi iniciado por Yogaswami. Nos anos de 1970 instalou um monastério Hindu no Hawaii, e fundou a revista Hinduism Today.

1.928: O líder hindu Jawaharlal Nehru apresentou um projeto para uma Índia livre e, em 1929 assume a presidência do Partido do Congresso.

1.931 ↗ 2.007: Vida de Sri Chinmoy, nasceu em Bengala e emigrou para os EUA em 1964. Yogui, filósofo, artista, atleta, e embaixador da paz das Nações Unidas.

1.938: O Instituto Bharatiya Vidya Bhavan foi fundado em Bombaim por K.M. Munshi para conservar, desenvolver e difundir a cultura indiana.

1.941:  A primeira cadeira de sânscrito e Indologia foi criada na Universidade de Yale. A Sociedade Americana para estudos Orientais foi fundada em 1942..

1.945: A Organização das Nações Unidas foi fundada por quatro nações aliadas e China para "salvar as gerações futuras do flagelo da guerra".

1.947: A Índia conquista a independência do Reino Unido em 15 de agosto. O Paquistão surge como uma nação islâmica separada, e 600.000 pessoas morrem em confrontos durante a troca de população, 14 milhões, entre os dois novos países.

1.948: Mahatma Gandhi foi assassinado em 30 de janeiro por Nathuram Godse, editor do semanário Hindu Mahasabha em Poona, em retaliação por concessões de Gandhi às exigências muçulmanas e por concordar com a partição de 27% da Índia para criar a nova a nação islâmica do Paquistão.

1.949: O sábio Yogaswami do Sri Lanka iniciou Sivaya Subramuniyaswami como seu sucessor na Sampradaya Nandinatha da Parampara Kailasa. Subramuniyaswami funda a Igreja (Instituição) Saiva Siddhanta.

1.949: Na nova Constituição da Índia, de autoria principalmente de B.R. Ambedkar, declara que não haverá "discriminação" contra qualquer cidadão com base na casta, jati, e que a prática da "intocabilidade" será abolida.

1.950: A Índia é declarada uma república secular. O primeiro-ministro Jawaharlal Nehru (1.947 ↗ 1.964) se propõe a abolir o sistema castas e industrializar o país. A constituição torna o Hindi a língua nacional oficial; O inglês ainda deve continuar por 15 anos e são reconhecidas as 14 principais línguas regionais.

1.955 ↗ 1.966: governo indiano aprova reformas sociais no casamento Hindu, herança, tutela, adoção, etc

1.959: O Dalai Lama foge do Tibete e encontra refúgio no norte da Índia quando a China invade sua nação budista.

1.961: A Índia recupera à força Goa, Damão e Diu de Portugal. Goa tornou-se um estado da Índia em 1987.

1.969: EUA astronauta Neil Armstrong põe os pés na lua.

1.973: Falecimento de Neem Karoli Baba, místico hindu e siddha.

1.974: Descoberta de Mehrgarh, um dos mais importantes sites arqueológicos do neolítico que provavelmente remonta a 7000 AC, pelos arqueólogos Jean-François Jarrige e Catherine Jarrige, sendo escavado continuamente entre 1.974 e 1.986, e posteriormente a partir de 1.997.

1.974: Índia detona um "dispositivo nuclear."

1.986: Jiddha Krishnamurti, filósofo, educador, e escritor hindu, falece em Ojal, EUA.

1.990: O Vaticano condena o misticismo oriental como falsa doutrina em documento do cardeal Ratzinger aprovado pelo Papa Paulo II, para purgar os mosteiros católicos, conventos e o clero do envolvimento em meditação oriental, yoga e zen.

1.993: IV Fórum Global de Líderes Espirituais e Parlamentares sobre a Sobrevivência Humana reúne-se em Kyoto, Japão. Green Cross é fundada para a proteção ambiental.

Fontes:

Links

Nenhum comentário: